BRILHO DO SEU OLHAR

“Uma linda alma
de raro coração.
Possui a calma
e a determinação.
Um bem indiscutível
se revela.
Vindo dela
pelo brilho do olhar.

Um encanto nítido.
Um ser cheio de graça.
Faz, no mínimo,
a vida ganhar asas.
Uma descoberta incrível
ao estar com ela.
Abro a janela,
vem o brilho do seu olhar.

Um iluminado e feminino ser
de impensáveis adjetivos.
Um jeito simples de ser
que cativa todo ser vivo.
Busca a paz na areia da praia
e no ar que a vida dá.
Seu templo é o mar
que aviva o brilho do teu olhar.

Um tempo que não corre
ao estar junto dela.
Um querer que não morre
com o pensar nela.
Ela é intensidade e um amar
que lima qualquer defeito.
Há de ser eterno no peito,
ela e o brilho do seu olhar”.

(Mael Júlia)

Imagem: Encontro com Cristo

Anúncios

D’ELA

“Onde houver um aroma inebriante de café, sei que ela estará por perto. E até posso vê-la suspirando prazerosamente após cada gole, e com um olhar no infinito como se estivesse imaginando – ou desejando – algo que reforçasse ainda mais o seu sorriso.
Aliás, um lindo sorriso que é só Dela.

Sempre que tiver um nascer do Sol, estarei certo de que são os olhos dela que acabaram de abrir. Mesmo que caia aquela chuva, ela saberá como capturar aquele momento em imagens e sons. Como combustível em um automóvel, tudo isso serve de força para impulsioná-la para os lugares que ela quiser. Até mesmo na imensidão de si mesma.
Por dentro, ela cultiva um vasto vale de variadas flores e cores que só ela sabe como cuidar. Um zelo raro que é só Dela.

Quando a poesia de Neruda, de Vinícius ou de Magiezi chegar aos meus olhos e ouvidos, na certa imaginaram uma musa, assim como ela, linda e inspiradora. Pois a cada traço, revela-se um verso mágico e belo. Ela exala poesia até num ‘bom dia’. Estrofes certeiras lhe servem de vestimentas para contemplar uma linda tarde de Junho.
Talvez ela não saiba, mas está escrevendo a cada dia, capítulos de histórias e prosas poéticas de sua própria vida. Com uma caligrafia só Dela.

Numa película de Crowe ou Zemeckis pode haver aquela mulher icônica que nos cativa – seja protagonista ou coadjuvante – mas nenhuma se compara à ela. Todos queriam na tela, o jeito que ela tem de andar, a fala tímida, o gorro charmoso e tudo mais que a complementa. Além da inteligência e coerência que possui em comentar sobre essas obras que tocam o seu coração, a ponto de derramar lágrimas.
Seja qual for o gênero do filme de sua vida, o roteiro é escrito do jeito Dela.

De demodê, ela não tem nada. Ela ama a noite, e o encanto noturno habita a Íris de seus olhos. Ela ama a música, e cada canção a faz bailar sozinha em seu quarto ou em pensamentos. Uma paixão em azul, branco e preto mora em seu peito, para o que der-e-vier. Ela é amor e afeto da cabeça aos pés, para todos que moram em seu coração. Assim como ela mora no meu.
Talvez, um dia, a encontre numa peculiar tarde de sábado e lhe abrace a retribuir o carinho e abrigo que suas palavras me proporcionaram. E que em meu olhar possa reconhecer a gratidão e felicidade em estar diante daquela luz humana.
Sei que aquele brilho no olhar, o sorriso e o que há de mais belo, jamais a deixará.
Pois ela nasceu com tudo isso, e permanecerá para sempre do jeito Dela.”

(Mael Júlia)

Imagem: Suburbana

*Dedicado à querida e iluminada amiga, Dani Rodrigues, do blog “D Demodê”

ASTRO OPACO

“Sobre essa cama, há um céu estrelado.
E cada estrela me observa e guarda.
Elas me fazem companhia e me permite que meu imaginário vá muito além delas.
Na mesma medida que a tua mão e teu carinho estão cada vez mais longe.
Um olhar antes brilhante, se revela sem raiz, imerso no desconhecido, e preso ao que não te traz Luz.
Minhas mãos atadas e meu sono perdido, são a perfeita tradução do que é angustiante.
Meu passo preso à sua boa vontade, e meu sonho atrelado à sua indiferença.
Sobre essa cama, sou como cada estrela: frio.
Elas me olham por horas à fio.
E eu, apenas observo o quanto do meu tempo vai pelo ralo.
E vejo também o sentido que havia em tudo que eu mais amava se esvanecer.
Sobre essa cama, sou um astro opaco, sem brilho.
Procurando, como um cego atravessando a rua, uma Luz pra minha vida, que me traga apenas paz.”

(Mael Júlia)

Imagem: Mega Curioso

O PURO, A BUSCA E UM SILÊNCIO

“Dentro do meu peito, há um sentimento puro que se revela no instante que você aparece.
Um sorriso que se abre despretensiosamente a cada frase sua.
O tempo que simplesmente para, quando estás diante de mim.
No mais, tudo ao redor não passa de cenário, luzes e figurinos cuja finalidade é realçar a tua nobreza e teu encanto.

Dentro do meu peito, há uma paciência rara de quem deseja te ter no tempo certo.
Mesmo sabendo que a melhor hora é agora.
Desejando que o amanhã chegue trazendo você, junto de um Sol vespertino e um aroma de flor.
Que no brilho dos olhos, na luz do sorriso, e em teu silêncio, habite a exata tradução do desejo igual ao meu.
Não haverá emoção mais intensa, do que estarmos frente a frente, e termos um ao outro.

Dentro do meu peito, há uma busca precisa.
Do acorde certo, e da tua voz em meu ouvido;
um pôr-do-Sol, e tua mão na minha;
uma alegria, e meu beijo no teu;
uma paz infinita, e o calor de nosso abraço;
um dia após o outro, e tua companhia;
de fundir seu coração e o meu.
Pois nada mais justo do que amplificar uma felicidade e concretizar um sentimento imenso.
Abdico dessa busca e findo meu silêncio no momento que eu tiver você e seu amor puro”.

(Mael Júlia)

Imagem:  Instaquote