EMBRIAGADO

20663900_487187788324001_8788529972306737155_n

“Embriagado estou.
Bebi cada gole do que havia em teu copo, e me percebi assim: tonto, passo leve e sem saber pra onde ir.
Não quis pensar demais, medir consequências.
Não quis, meu coração, deixar você passar despercebida, como se insignificante fosse.
Meu pensamento te carrega onde quer que eu vá, e minha palavra é o que mais me aproxima de ti.

Embriagado me vejo.
Desajeitadamente, me levanto e tento ir em direção ao infinito de seu abraço.
Mas, sua imagem desaparece como miragem.
Isso é coisa de minha imaginação que adora me pregar peças.
Em minhas veias, não há sequer uma gota de álcool, e estou assim nesse estado.
Embriagado de você, rendido aos teus encantos, e aceitando todos os clichês que justifiquem esse querer.
Esse imenso querer que é maior que meu ser.

Embriagado… e procurando meios eficientes.
De abrir o peito à libertar pássaros e deixar essa emoção no ar e no tempo.
De conduzir minhas palavras e revelações até seus ouvidos.
De comparar o brilho de seu olhar ao meu, e perceber se me enviarás os sinais que preciso.
Essa minha natureza que insiste em alimentar expectativas além do necessário, me deixa numa encruzilhada.
Mais precisamente, uma interrogação: me quererá ou não?
Depois de se mostrar à mim em essência e atributos, você me deu passagem apenas de ida, em direção aos meus anseios mais profundos.
De querer-te mais do que qualquer ser.
Pois teu sorriso já é uma pequena razão de me sentir realizado.
Quem sabe, na hora certa, uma chance aparecerá em minha rotina, e poderemos dividir momentos e o melhor que duas pessoas podem oferecer.
Além de dividirmos um vinho tinto, enquanto os assuntos se entrelaçam um no outro.
E no passar do tempo, nos perceber um nos braços do outro, tontos e gargalhando.
Porém, os dois leves e embriagados de muito amor.”

(Mael Júlia)

Imagem: Instaquote

AO PENSAR EM TI

20708094_486668758375904_8796817200266920775_n

“Ao pensar em ti, o aflorar do meu sorriso se torna inevitável. E o coração pulsando a mil, também.
Como posso eu, encurtar essa distância entre nós?
Contante interrogação que se prende à muitos resquícios de força que há em mim.
Há um infinito bem-querer esperando ansiosamente por você. Porém, os sinais que recebo mostram que és alheia a mim, assim como a núvem e o asfalto.
É uma pena que não queiras ver o que há, nas profundezas do meu olhar.
Uma pequena semente que criou raízes poderosas em cada veia de meu corpo.
Uma razão óbvia em desejar – ao menos, uma vez mais – o seu beijo, teu cheiro, seu corpo, sua fala peculiar e tua vida na minha.
O tempo da vida é como uma linha fininha se desenrolando de um carretel imprevisível. Podem surgir imperfeições ao longo dela, e o inevitável: ela finda sem avisar quando está próximo de acabar.
Quem dera se percebesse como o amanhã é ilusório, e que só existe o presente para tudo. Para respirar, olhar o céu, para sorrir, cantar, extravasar…
Para amar.
Para viver.
E não há nada melhor do que carregar um coração florido.
Do que ter um jardim multicolorido dentro da alma.
O que você está esperando? Venha logo!
Traga seu perfume e teu olhar brilhando de alegria.
Venha regar esse jardim que está dentro de mim, porém, é todo seu.
Venha… pois meu coração continua pulsando, e o meu sorriso em flor, intacto, ao pensar em ti.”

(Mael Júlia)

Imagem: Instaquote

BRILHO DO SEU OLHAR

“Uma linda alma
de raro coração.
Possui a calma
e a determinação.
Um bem indiscutível
se revela.
Vindo dela
pelo brilho do olhar.

Um encanto nítido.
Um ser cheio de graça.
Faz, no mínimo,
a vida ganhar asas.
Uma descoberta incrível
ao estar com ela.
Abro a janela,
vem o brilho do seu olhar.

Um iluminado e feminino ser
de impensáveis adjetivos.
Um jeito simples de ser
que cativa todo ser vivo.
Busca a paz na areia da praia
e no ar que a vida dá.
Seu templo é o mar
que aviva o brilho do teu olhar.

Um tempo que não corre
ao estar junto dela.
Um querer que não morre
com o pensar nela.
Ela é intensidade e um amar
que lima qualquer defeito.
Há de ser eterno no peito,
ela e o brilho do seu olhar”.

(Mael Júlia)

Imagem: Encontro com Cristo

D’ELA

“Onde houver um aroma inebriante de café, sei que ela estará por perto. E até posso vê-la suspirando prazerosamente após cada gole, e com um olhar no infinito como se estivesse imaginando – ou desejando – algo que reforçasse ainda mais o seu sorriso.
Aliás, um lindo sorriso que é só Dela.

Sempre que tiver um nascer do Sol, estarei certo de que são os olhos dela que acabaram de abrir. Mesmo que caia aquela chuva, ela saberá como capturar aquele momento em imagens e sons. Como combustível em um automóvel, tudo isso serve de força para impulsioná-la para os lugares que ela quiser. Até mesmo na imensidão de si mesma.
Por dentro, ela cultiva um vasto vale de variadas flores e cores que só ela sabe como cuidar. Um zelo raro que é só Dela.

Quando a poesia de Neruda, de Vinícius ou de Magiezi chegar aos meus olhos e ouvidos, na certa imaginaram uma musa, assim como ela, linda e inspiradora. Pois a cada traço, revela-se um verso mágico e belo. Ela exala poesia até num ‘bom dia’. Estrofes certeiras lhe servem de vestimentas para contemplar uma linda tarde de Junho.
Talvez ela não saiba, mas está escrevendo a cada dia, capítulos de histórias e prosas poéticas de sua própria vida. Com uma caligrafia só Dela.

Numa película de Crowe ou Zemeckis pode haver aquela mulher icônica que nos cativa – seja protagonista ou coadjuvante – mas nenhuma se compara à ela. Todos queriam na tela, o jeito que ela tem de andar, a fala tímida, o gorro charmoso e tudo mais que a complementa. Além da inteligência e coerência que possui em comentar sobre essas obras que tocam o seu coração, a ponto de derramar lágrimas.
Seja qual for o gênero do filme de sua vida, o roteiro é escrito do jeito Dela.

De demodê, ela não tem nada. Ela ama a noite, e o encanto noturno habita a Íris de seus olhos. Ela ama a música, e cada canção a faz bailar sozinha em seu quarto ou em pensamentos. Uma paixão em azul, branco e preto mora em seu peito, para o que der-e-vier. Ela é amor e afeto da cabeça aos pés, para todos que moram em seu coração. Assim como ela mora no meu.
Talvez, um dia, a encontre numa peculiar tarde de sábado e lhe abrace a retribuir o carinho e abrigo que suas palavras me proporcionaram. E que em meu olhar possa reconhecer a gratidão e felicidade em estar diante daquela luz humana.
Sei que aquele brilho no olhar, o sorriso e o que há de mais belo, jamais a deixará.
Pois ela nasceu com tudo isso, e permanecerá para sempre do jeito Dela.”

(Mael Júlia)

Imagem: Suburbana

*Dedicado à querida e iluminada amiga, Dani Rodrigues, do blog “D Demodê”

O QUANTO EU TE QUERO

“Ah, como eu te quero!
E como é doce a sensação de te desejar pura e simplesmente por quem tu és.
Tu és linda, e sabes bem disso.
Mesmo que não concorde com o que digo, lá no fundo, sabes o poder que possuis.
O mesmo que me levou a te perceber.
A notar seu jeito particular de ser, de falar, de se mover.
Tudo isso me faz te querer. Mais e mais.

Ah, como te quero!
Te quero exatamente agora, nesse momento.
Para lindamente redescobrir o brilho dos seus olhos e tua face.
Para meu corpo ser tomado pela energia do teu beijo, e sentir na alma o poder de um querer único.
Para fazer valer a pena, cada minuto do tempo que estivermos abraçados, e atirando sorrisos ao luar.

Ah, como eu te quero!
Seja numa quentura de um verão, ou no vento gélido desses dias atuais.
Contanto que sua mão esteja segurando a minha, com a força suficiente de me querer ao lado teu.
Com o carinho súbito e consciente de não haver amanhã, e que todo dia é sagrado.
Assim como o amor, o solo, o teto, a vida…
Vida tão remota que passa por nós num piscar de olhos, e deixamos de viver tudo que nos é dado.
Coisa que, ao seu lado, jamais passaria despercebida pela importância que tua existência daria à minha vida.
Pela grandiosidade que o teu ser faria em meu ser.

Ah, como eu te quero!
Te quero com a pureza de um menino que ama seu primeiro amor, sem se preocupar com nada e ninguém.
Com a urgência de não ser apenas paixão, mas algo que cresce diariamente, como uma semente no solo prestes a se tornar algo sólido e indestrutível.
Te quero da maneira mais honesta que um homem pode ter uma mulher. De beijar tua boca, como quem aprecia o melhor da vida. De estar ao seu lado, a cada passo, a cada obstáculo e a cada alegria. De contemplar teu corpo, como se fosse um altar e elevarmos nossos desejos ao espaço.
E, juntos, nos misturaríamos em pele, palavras, e astros.

Ah, como eu te quero!
Na paz que rege teu sono antes de despertar.
Nos primeiros raios de Sol pela manhã.
No olhar que me encontra ao seu lado, deitado na cama.
Nas primeiras frases que ditarão a harmonia do dia.
Na urgência de tudo isso se materializar, e que você não seja apenas um devaneio que sela minhas possibilidades de ser pleno em amor.
Em meio à essa minha loucura, existe você, em algum lugar, imersa em sua rotina e a cada dia que passa, mais linda e esplendorosa.
Todos passam por mim, os dias também.
Mas, por alguma razão, você permanece em mim. E não vejo outra razão lógica de te manter aqui dentro.
Porque eu te quero.”

(Mael Júlia)

Imagem: Pinterest

UM MERGULHO INTENSO

mergulho

“Basta um salto.
Um impulso para mergulhar de cabeça num oceano peculiar.
Uma decisão importante.
Passagem só de ida.
Um querer descobrir o quão profundo é o brilho de seus olhos.
Se serão faróis ou estrelas.
Decifrar precisamente qual elemento habita em sua alma.
Mas estou quase certo de que é fogo.
E não um fogo brando, pequeno. E sim, uma fogueira inteira.
Chama líquida correndo nas veias, que depois nos pequenos gestos, se vertem em flores.
As mais belas e cheias de aroma.
Embriagador e envolvente como sua voz.
Voz que dança no ritmo do querer, do seduzir.
Voz que revela tudo que deseja consumir por inteiro.
Voz que flecha o peito, ao cantar no tom alucinante e tomando os meus sentidos.
Meu coração ainda pulsa, e quer encontrar o seu, oceano adentro.
Nessa vastidão onde posso me perder num piscar de olhos, e ver minha vida e meu corpo em suas mãos.
Imensidão é seu sobrenome.
Intensidade é impressão digital do teu ser.
O risco é infinito, e meu coração é apenas um.
Que é igualmente intenso e louco de sentimentos que ultrapassam limites.
Que anseia e deseja por mais emoções e sentimentos.
Que amar sem a possibilidade de haver um amanhã, é decreto.
És uma fonte de água pura a saciar a sede de quem se atreve a decifrar-te.
Um mistério envolvente em carne, osso e prazer.
E uma vontade de estar na ponta do trampolim.
De fitar a profundeza de sua alma, através de seus olhos.
De sentir previamente, o calor das mãos e o sabor do beijo.
De absorver essa sensação até o corpo se exaurir.
E basta apenas uma decisão.
Um impulso de mergulhar de cabeça, e estar alheio a qualquer coisa que aconteça ao redor.
Um salto.
Um mergulho intenso no interior de dois seres.
Duas esfinges humanas.
Duas forças da natureza.
Duas almas que multiplicam os sentimentos.
Que se jogaram, saltaram.
Se lançaram no infinito, até não ouvirem nenhum som.
E ao se chocarem no mar, como mágica, viraram dois pássaros e voaram em direção ao desconhecido.
Batendo as asas com a plena urgência de haver apenas uma vida, e com a consciência de não haver amanhã.
Voaram juntos, em todos os sentidos, e na ternura do hoje.”

(Mael Júlia)

Imagem: Mística Inaciana

 

PEQUENA

iyppcphzm0g

“Naquele momento
tudo se resumia à ela.
As grandezas da vida
no jeitinho dela.
A cor do cabelo,
o tom do olhar,
a pele rara.
Como desvendar
esse sutil mistério
de uma linda mulher?
Como descobrir
se ela se mostra como quer?

Naquele momento,
linda era ela, e eu a queria.
Era eu, num forte desejo,
e o tempo que nada mais valia.
Era ela em sua simplicidade,
e eu, em minha timidez.
Prendendo as palavras
que nunca teriam vez.
Era ela, diante de mim
e tão inatingível.
E eu, sonhando acordado,
me via invisível.

Naquele momento,
meu sangue corria em suas veias.
Via o mundo através de seus olhos,
e estava preso em sua teia.
Algo me atraiu de vez
para uma intensa emoção.
Ousou-me desafiar as leis
da natureza e do coração.
Eu pensava, eu sonhava
uma existência mais que plena,
habitando nos beijos infinitos
e no calor daquela pequena.”

(Mael Júlia)

Imagem: Fixabay